01/01/2020 - DER: 50 novas obras deverão ser executadas em 2020
Notícia de licitação
 

Jornal de Brasília

Aline Rocha

 

Segundo o diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur Junior, o ritmo em 2020 continuará seguindo conforme o planejado desde o início da gestão Ibaneis Rocha

 

No ano de 2019 o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) bateu o recorde de obras e manutenções nas rodovias distritais e vias urbanas por meio de parcerias, totalizando 44 obras entre diretas e contratadas. Esse número equivale a 20% a mais do que em 2018 e, em valores, representa R$ 328,3 milhões.

 

Para começar 2020 com o pé direito, o departamento está se planejando para bater novo recorde, dando início a 50 novas obras espalhadas por todo o Distrito Federal, entre grandes e pequenas. Oito estão em fase de projeto, 23 aguardam recursos para execução, uma tem recurso liberado, uma está em fase de assinatura de contrato, quatro estão em fase de licitação e uma está aguardando liberação judicial. Para execução de todos estes serviços, o valor estimado chega a, aproximadamente, R$ 2 bilhões.

 

Dos trabalhos que deverão sair do papel ainda no primeiro semestre de 2020, em fase final da licitação ou prestes a começar, estão a construção de ciclovia e calçada na DF-459, a restauração do pavimento asfáltico e adequações das vias marginais do Pistão Sul (DF-001).

 

Também fazem parte desse pacote específico, a construção da ponte e canal em concreto sobre o Córrego Samambaia (DF-079), a construção de uma ponte sobre o Córrego Vicente Pires, na via marginal da Estrutural (DF-095), a pavimentação da VC-441, no entroncamento da DF-285 com a Colônia Agrícola Lamarão e a pavimentação da VC-371, do trecho entre a BR-040/BR-050 até a DF-290, que liga o condomínio Total Ville à Santa Maria.

 

Segundo o diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur Junior, o ritmo em 2020 continuará seguindo conforme o planejado desde o início da gestão Ibaneis Rocha. “No início deste ano recebemos a ordem de transformarmos o DF. Temos seguido à risca essa exigência”, conta ele. “Em 2019, empenhamos todos os recursos em grandes e pequenas obras e em 2020 vamos expandir ainda mais esse trabalho”, destacou.

 

Para conclusão em 2020

 

Entre os trabalhos que tiveram início em outras gestões e as que começaram em 2019 e devem ser finalizadas em 2020 estão:

 

A Ligação Torto-Colorado 

O Trevo de Triagem Norte (TTN) 

A restauração asfáltica e construção de ciclovia de 3 km da DF-087 (Estrada Parque Vale – EPVL), além da readequação de 3 rotatórias da via 

A pavimentação de 10 km da DF-285 (PADF) 

A construção de 3,6 km de ciclovia na DF-483  

A manutenção asfáltica dos 15 km do Eixão (DF-002) 

A pavimentação de 8,2 km em trecho da DF-001, entre a DF-430 e a DF-220

A instalação de estacionamento externo no campus da UnB do Gama

A manutenção de 56 passarelas aéreas

Análise da página "der50nov"   

Avaliação: 3 de 10 | Comentários: 8 | Número de avaliações: 16
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 98836-3254
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
 
 
 
 
 
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa