A declaração de imposto de renda e o imóvel financiado
Como incluir o imóvel financiado na declaração de ajuste anual do imposto de renda.
Publicado em 7 de Março de 2018
Vinícius Loss
OAB/SC 29.025
 
O ano novo sempre traz obrigações tributárias (IPTU, IPVA e, claro, o "leão", o temido imposto de renda). Apesar da fama negativa deste último, nem 30 milhões de pessoas (menos de 15% da população brasileira) terá a obrigação legal de entregar a Declaração de Ajuste Anual ao Fisco neste ano de 2018, o que demonstra como a renda formal da esmagadora maioria da população é baixíssima (em linhas gerais, inferior a R$ 28.559,70 no ano), a despeito de parte da classe política propalar aos quatro cantos ter "erradicado a pobreza do país". 
 
Entre 1º de março e 30 de abril de 2018, aqueles obrigados a entregar a declaração precisam tomar cuidado no momento de declarar o imóvel financiado, a fim de que o valor considerado como "custo de aquisição" fique correto. Isso porque, quando adquirimos um imóvel por meio de um financiamento (seja ele bancário ou com a própria construtora), o custo de aquisição se projeta nos anos futuros e é conveniente para o contribuinte declarar corretamente o quanto pagou anualmente, inclusive no que se refere aos juros do financiamento, na medida em que essa informação impactará em eventual imposto de renda devido no futuro, pelo chamado "ganho de capital", que é o ganho advindo da valorização de um imóvel.
 
Então, para elucidar, tome-se como exemplo um imóvel que foi negociado, em 25 de novembro de 2017, por R$ 300 mil, sendo R$ 90 mil pagos de "entrada" e o restante financiado em 120 meses, iniciando-se a primeira prestação, digamos, de R$ 3.000,00 (o valor da prestação depende da taxa de juros contratada), em 7 de dezembro de 2017. 
 
Ao fazer a declaração de Imposto de Renda, em 2018, o contribuinte informará, na aba "bens e direitos", que adquiriu o imóvel por R$ 300 mil, tendo pago R$ 90 mil de entrada e outros R$ 3.000,00 de prestação, em 2018. Portanto, a situação do bem em "31 de dezembro de 2016" será de R$ 0,0 e em "31 de dezembro de 2017" será de R$ 93.000,00 (e não de R$ 300 mil, como costumeiramente se acaba fazendo).
 
Na declaração do ano seguinte, 2019, o contribuinte precisa somar o quanto pagou de prestação ao longo do ano de 2018 aos R$ 93 mil informados na declaração do ano anterior. Então, se as prestações forem lineares, ele pagou mais R$ 36 mil de prestação, ao longo de 2018, e a situação do imóvel, na declaração de IR de 2019, passará a ser de R$ 129.000,00 (R$ 93 mil + R$ 36 mil) e assim sucessivamente até a quitação integral do imóvel.
 
Se o imóvel foi adquirido por um casal, é também conveniente que cada um declare 50% da propriedade em sua respectiva declaração (ou o percentual correspondente) ou que apenas um declare a integralidade do imóvel. O que está errado é que ambos declarem 100% da mesma propriedade. 
 
Finalmente, se o imóvel é financiado, é conveniente que seja informado, na aba "dívidas e ônus reais" a existência da dívida do financiamento, quanto ela era em 31 de dezembro de 2016 e em quanto ela está em 31 de dezembro de 2017. A "situação" da dívida costuma seguir o caminho inverso da situação do imóvel adquirido - enquanto este aumenta anualmente, aquela diminui.

Análise da página "imposto-renda-imovel-financiado"   

Avaliação: 6 de 10 | Comentários: 31 | Número de avaliações: 60
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 99184-1375
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa