16/08/2020 - Justiça decreta indisponibilidade de bens de servidores e empresários em MT por desvio de verba
Notícia de licitação
 

Só Notícias

 

Sete servidores e empresários e duas empresas foram acionados pelo Ministério Público do Estado em ação de improbidade administrativa que apura desvio de verba pública que deveria ter sido utilizada no evento “Campo da Bacia Leiteria e Piscicultura”, no município de Brasnorte, tiveram os bens declarados indisponíveis por determinação judicial. O bloqueio corresponde ao montante de R$ 222 mil e visa assegurar, ao final da ação, eventual ressarcimento ao erário.

 

Consta na ação, além dos requeridos a Promotoria de Justiça verificou a participação do ex-prefeito Eudes Tarciso de Aguiar e um ex-secretário que também assinaram documentos com datas retroativas, mesmo depois de já ter deixado o cargo. Ambos realizaram, voluntariamente, acordo de não-persecução cível assumindo o compromisso de cumprir diversas obrigações para não responderem na esfera judicial.

 

De acordo com a ação, os fatos aconteceram em 2014. Na ocasião, uma empresa de rodeio recebeu a quantia de R$ 120 mil do município para realização da 22º Exposição Agropecuária e Industrial de Brasnorte. Além das atrações de rodeios, a festa comemorativa também proporcionou shows, bingos e outras atrações, sem previsão de orçamento para tanto. Para suprir todos os gastos, a comissão da festa e a empresa executora apostavam na arrecadação de bilheteria, como venda de cartelas, o que acabou não acontecendo.

 

“A partir desse prejuízo financeiro de um evento privado, os requeridos e Eudes Tarciso, prefeito à época, iniciaram uma manobra artificiosa para desviar dinheiro público visando transferir parte dela ao representante da empresa”. “Para tanto, realizaram uma sequência de atos administrativos fictícios e contratos simulados”, diz um trecho da ação.

 

Segundo o MP, à época foi celebrado o convênio 26/2014, processo firmado entre o Estado de Mato Grosso, por meio da secretaria estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar e a prefeitura de Brasnorte, para realização de um suposto evento denominado “dia de campo da bacia leiteira e piscicultura no município de Brasnorte”. O objetivo era repassar orientações aos produtores para aumentar o nível de tecnificação das propriedades, possibilitando maior produtividade e permitindo um aumento substancial na renda destes produtores. O MP acusa que a licitação foi fraudulenta e constatados ainda superfaturamento e sobrepreço. “O evento sequer foi realizado e os envolvidos ainda falsificaram a prestação de contas na tentativa de comprovar a utilização dos valores recebidos”.

 

“Os agentes públicos e particulares simularam a realização do evento para justificar o pagamento por serviço que nunca fora prestado e pelas mercadorias que não foram entregues, desviando o dinheiro público para fins particulares”, finalizou o MP.

Análise da página "jjjustttiiiic"   

Avaliação: 8 de 10 | Comentários: 13 | Número de avaliações: 25
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 98836-3254
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa