09/08/2018 - Lista de contas reprovadas do TCE inclui 3.586 gestores
Notícia de licitação
 

O Povo

 

Ceará - Relação foi entregue ontem ao Tribunal Regional Eleitoral. Alguns dos nomes podem se repetir por terem mais de uma conta reprovada

 

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) entregou ontem à Justiça Eleitoral uma lista de 3.586 gestores que tiveram contas julgadas irregulares no Ceará e, por isso, estão inelegíveis. A lista servirá de referência para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE) analisar os registros de candidatura para as eleições de outubro que podem ser efetuados até o próximo dia 15. Após o cruzamento de dados, os candidatos que estiverem na lista de contas desaprovadas, poderão ter a candidatura impugnada e o registro negado pela Corte eleitoral, em razão da Lei da Ficha Limpa.

 

Na lista, com 3.586 gestores, é possível que haja um mesmo nome mais de uma vez. Ocorre quando um mesmo gestor teve contas desaprovadas em diferentes ações. Conforme o TCE, ao todo, 6.389 processos foram julgados até chegar à quantidade de gestores com contas irregulares. A lista se refere a processos julgados no período entre 15 de agosto de 2010 e 7 de agosto deste ano e envolve representantes de todos os municípios do Estado.

 

Da lista de contas irregulares, 1.460 têm indicação de nota de improbidade administrativa. Os demais casos, envolvem outros tipos de irregularidades. Em comparação com a última lista, elaborada para o pleito de 2016, enviada pelo TCE e pelo extinto Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), houve diminuição de 829 nomes.

 

A presidente do TRE-CE, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, recebeu a lista na tarde de ontem das mãos do presidente do TCE-CE, conselheiro Edilberto Pontes. Segundo a desembargadora, a missão do TRE-CE é "fazer com que exista ordem" nas disputas políticas ao longo do pleito eleitoral deste ano. Segundo ela, a fase de maior atuação do tribunal chegou e os trabalhos já estão intensificados.

 

Sobre os processos, Edilberto Pontes ressaltou que a troca de informações realizada entre tribunais de contas estaduais de todo o País, assim como com o Tribunal de Contas da União (TCU), agregou valor ao trabalho realizado no Ceará. "É uma série de procedimentos que são observados para que não exista nenhuma injustiça", afirmou Pontes.

 

Segundo o secretário-geral do TCE-CE, Tenir Cordeiro, os julgamentos foram realizados com cautela e observando a legislação que prevê que histórico de contas retroativas a oito anos sejam reunidas e entregues ao TRE-CE. Ele reforça que uma das principais infrações cometidas pelos gestores é o descumprimento da Lei de Licitações. "O TCE é muito criterioso ao fazer os exames desses processos para identificar fraudes, conluios para favorecimento de fornecedores, e atos com vícios de legalidade e improbidade administrativa", diz.

 

A Procuradora Regional Eleitoral conta com procurador regional e três procuradores auxiliares. "A PRE tem um grupo de procuradores que está trabalhando na intensificação da fiscalização de forma a garantir que apenas concorram nas eleições aqueles cidadãos que preencham os requisitos legais", afirmou a procuradora auxiliar, Livia Maria de Sousa.

 

Segundo Livia, a Procuradoria atuará diuturnamente para averiguações de denúncias que chegam de todo o Estado sobre desobediências às normas eleitorais.

 

NÚMEROS

 

1460

 

das reprovações de contas se devem à improbidade administrativa

 

OP ONLINE www.opovo.com.brA lista completa de gestores que tiveram contas desaprovadas está disponível no O POVO Online, pelo link: https://bit.ly/2KFxuzf

 

 

 

 

 

 

Análise da página "listadecontasrep"   

Avaliação: 1 de 10 | Comentários: 16 | Número de avaliações: 31
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 99184-1375
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa