06/07/2018 – Propina foi renegociada
Notícia de Licitações
 

O Dia
Adriana Cruz

 

Percentual caiu para 5% para novos parceiros no Into. Mais um suspeito foi detido

 

Novas parcerias para manter o esquema de corrupção em tempos de Lava Jato eram as estratégias da atual cúpula do Instituto Nacional de Traumatologia (Into). Investigações da operação Ressonância do Ministério Público Federal (MPF) revelam que os diretores passaram a barganhar propinas em torno de 5% dos contratos, abaixo do 40% cobrados pelas empresas de Miguel Skin que abasteciam o ex-governador Sérgio Cabral e o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes. Em 22 anos foram desviados R$ 600 milhões.

 

O megaesquema, que envolvia empresas multinacionais, levou para a cadeia mais um acusado ontem, Gaetano Signorini, diretor comercial da Oscar Iskin, de Miguel Skin e de seu sócio Gustavo Estellita que abocanharam R$ 317 milhões com a corrupção no Into, Secretaria estadual de Saúde e Ministério da Saúde. Signorini foi detido por agentes da Polícia Federal no Aeroporto Tom Jobim quando chegava dos EUA. Ao todo 22 foram presos. Está foragido Ermano Marchetti da empresa alemã Drager, apontada como integrante do ‘clube do pregão internacional’, que fraudava licitações.

 

Apesar do cerco, o diretor do Into André Luiz Loyelo Barcelos, Luís Carlos Moreno de Andrade, João Batista da Luz Júnior e Rafael dos Santos Magalhães, todos presos, continuavam a comandar novo esquema de propina. Segundo o delator Leandro Rosa Camargo, da empresa Per Prima Comércio e Representações Ltda, o grupo, por ter pago R$ 730 mil à empresa, queria ganhar 5%, o equivalente a quantia de R$ 36,5 mil. Enquanto a roubalheira se mantém no Into, mais de 11 mil pacientes aguardam atendimento na fila de espera.

 

LAVA JATO NÃO É SUFICIENTE

 

Para a procuradora Marisa Ferrari os avanços da Lava Jato são importantes, mas não suficientes. “É preciso que a corrupção se transforme em caso de alto risco. O processo tem que ser mais rápido. Hoje, tudo é moroso, feito para não funcionar e eles sabem disso”.

 

Outras unidades envolvidas

 

O Instituto Estadual do Cérebro, no Centro, e o Hospital Estadual Dona Lindú, em Paraíba do Sul, e outras unidades federais também foram abastecidas pelo esquema de corrupção montado no Into. Uma das peças-chave é Jair Vinicius Ramos da Veiga, o Capitão Veiga, militar do Exército que foi ex-diretor do Into e do Departamento Geral de Hospital, do Ministério da Saúde, que comandava quatro unidades federais no Rio.

 

Capitão Veiga é acusado de ser homem-forte do empresário Miguel Iskin no esquema. Nas investigações do MPF, foram identificadas depósitos em espécie de mais de R$ 2 milhões. A mulher do militar Daniela Cristine Fazza da Veiga, responsável por parte dos depósitos, foi presa temporariamente.

 

Segundo dados da operação Ressonância, Capitão Veiga recebia das empresas integrantes do esquema as diretrizes para desclassificar outras que tentavam ganhar as licitações sem participar de irregularidades. Os tentáculos do esquema compravam até material que não seriam usados para pagar propinas. O caso aconteceu em 2014 em uma negociação com a empresa Lógica que totalizou R$ 629.900, referentes à compra de mercadorias em desuso, até com o prazo de validade vencido e equipamentos sucateado.

Análise da página "propinarenegociada"   

Avaliação: 3 de 10 | Comentários: 18 | Número de avaliações: 35
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 99184-1375
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa